MLB: Analisando o mercado #01

Começa aqui a primeira série de posts onde nós vamos analisar as contratações e trocas do Mercado da MLB. Deixem suas críticas e comentários abaixo sobre o que concordam ou não. Analisarei no meu ponto de vista.

TROCA

St. Louis Cardinals recebe: Jason Heyward e Jordan Walden

Atlanta Braves recebe: Shelby Miller e Tyrell Jenkins

download

Analiso as aquisições e trocas em relação ao que o time precisa e se o contrato foi bom e blá blá blá. No meu ponto de ver, os Cardinals se saíram bem na troca, mesmo perdendo um arremessador de muito potencial. O campo externo dos Cardinals tem/tinha alguns defeitos, principalmente defensivamente, e deu pra perceber isso nos Playoffs quando a equipe jogou com o desconhecido Randal Grichuk no campo direito. Grichuk foi bem no bastão e até teve alguns momentos bons defensivamente, mas foi pouco. Os problemas defensivos no campo externo passam muito por conta de Matt Holliday, que é muito bom no ataque, mas bem fraco defensivamente. A contratação de Jason Heyward vai ajudar bastante esses problemas de St. Louis, principalmente por ele ser um dos melhores OFs defensivos da liga.

Jordan Walden também foi uma ótima aquisição para o bullpen dos Cardinals. Jogador bem consistente, que teve 2.88 de ERA e chega pra ajudar um bullpen que é bom, mas que teve problemas nos Playoffs, como a “entregada” de Randy Choate contra os Giants.

Por outro lado, não vi com bons olhos as aquisições dos Braves. Perderam um dos ótimos OFs que tinha e contrataram mais um um jovem e ótimo arremessador, mas isso a equipe já tem bastante com Mike Minor, Julio Teheran e Alex Wood, por exemplo. Não acho que a chegada de Shelby Miller foi ruim, mas perder um jogador que deixará um lugar bem vago no campo externo da equipe foi bem preocupante. No geral, não gostei muito da troca para os Braves, mas caso a equipe acerte com um bom OF no mercado, a troca terá sido bem aceitável. Tyrell Jenkins é um prospecto interessante e pode ajudar no futuro a equipe. Continuar lendo

Anúncios

Mailbag NHL – #01

316068_628365317191996_1266842054_nddjg

Estreia no blog o Mailbag NHL, espaço onde todos os internautas e fãs da melhor liga de hóquei do mundo podem mandar perguntas tantas por aqui, nos comentários, como nas rede sociais (Facebook ou Twitter). Provavelmente será de mês em mês. Ainda estamos estudando a possibilidade de fazer os Mailbags da NBA, MLB, NFL e MLS também. Só vamos deixar fixado o Mailbag sobre NHL, já que os das outras ligas ainda não foram feitos. José Vitor Aguiar, um dos donos do blog e responsável pela parte de NHL, vai responder todas as perguntas dos fãs que mandaram as perguntas. Vamos nessa!

Resposta: Não. No futebol o impedimento é marcado quando o jogador posiciona-se atrás do defensor, ou da linha de defesa. No hóquei você pode se posicionar aonde quiser, desde que o disco já tenha cruzado a linha de ataque. Continuar lendo

Supervalorizados? Não, senhor!

316068_628365317191996_1266842054_nddjg

Por: Pedro Henrique Teixeira (@AllYourBalls)

A NBA não vive só de astros. Vive também de jogadores de rotação, jogadores que contribuem em setores específicos da quadra, vive de jovens que estão em constante evolução e vive de jogadores muito bons, que batem na porta do “next level”, mas talvez nunca cheguem realmente lá.

Com o mercado da NBA cada vez mais inflacionado, onde tudo é supervalorizado, eles encontram-se em situações em que podem barganhar por salários que, em outros tempos, seriam absurdos. 14 milhões por ano, por exemplo, para tirar uma média. Nesta temporada, utilizarei 4 casos nestes moldes e defenderei o posicionamento dos GMs. Note também que as motivações sãos diferentes em alguns casos, mas partem de um mesmo ponto: talento. Todos os 4 casos podem ser considerados “All-Stars in the making”. Continuar lendo

O subestimado Memphis Grizzlies

o-matic

Ok, é só começo da temporada e muitas equipes ainda estão encontrando o entrosamento necessário para fazer sucesso, como é o caso do Cleveland Cavaliers, que reformulou todo seu elenco e trouxe dois All-Stars. Esse início serve como transição para um sucesso futuro em times como esses. Mas existem outras equipes que mantiveram a base (e como mantiveram), como é caso do Memphis Grizzlies, que não perderam jogadores muito relevantes e trouxe apenas um jogador para recompor, Vince Carter, além de dois ótimos calouros, Jordan Adams e Jarnell Stokes. Continuar lendo